Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

t r i c i c l o ck

t r i c i c l o ck

Journal de Mickey n°1279 de janvier 1977 (2).jpeg

Journal de Mickey n° 1279; janeiro de 1977; edição francesa.

   Bertrand Lavier desenvolveu a sua carreira em diferentes fases, ou séries bem diferenciadas (ele chama-lhe chantiers, o que tanto se pode traduzir como canteiros ou estaleiros, e que são projetos em curso). A sua primeira fase, uma das mais aclamadas, foi a Walt Disney Productions, de 1984, onde colheu inspiração numa história aos quadradinhos, publicada uns anos antes, em 1977. Nessa história, o rato Mickey e a sua companheira Minnie visitavam uma galeria de arte contemporânea. O cenário dos quadradinhos era ilustrado com adereços que eram obras abstratas, desenhadas de uma maneira que tinha tanto de sumária e meramente ilustrativa, quanto de ironia e mordacidade, já que é fácil ver naquelas formas não figurativas e minimalistas uma declaração caricatural relativamente à linguagem dos artistas contemporâneos. Ora, Lavier, num momento de inspiração surpreendente, reproduziu tridimensionalmente aqueles objetos, resgatando-os do espaço ficcional e colocando-os numa galeria real.

Lavier Mickey.jpeg

https://www.kunstmuseumluzern.ch/en/exhibitions/bertrand-lavier/

     São muitas as séries artísticas do autor, podendo destacar-se, entre outras, aquela em que posicionou uns objetos sobre outros, ou uma outra, talvez a mais próxima dos readymades de Duchamp, em que exibiu objetos comuns colocados sobre estruturas expositivas (objets soclés), ou ainda, quando produziu fotografias de estátuas de cera do Museu Grévin, seguindo o estilo Harcourt, um famoso estúdio fotográfico de Paris, apenas para referir três exemplos.

3 obras.png

Brandt / Haffner; 1984. Frigorífico da marca Brandt colocado sobre um cofre-forte da marca Haffner; Teddy, 1994; Harcourt / Grévin Nº 1; 2002